Compartilhe

[divider]

01.
O feudalismo pode ser considerado um conjunto de
leis e costumes que orientaram a ordem sociopolítica
e econômica, numa parte da Europa, durante um período
da Idade Média. O sistema feudal caracterizou-se
principalmente:
a) pelo modo de produção escravista, baseado nas
relações servis de produção.
b) por uma economia amonetária, na qual prevaleciam
as trocas naturais.
c) por uma sociedade com grande mobilidade social.
d) por um poder político centralizado, sendo o rei o centro
em torno do qual se agrupavam os Estados feudais.

[divider]
02. UFES
O século XIV, na Idade Média, corresponde a uma
fase em que o feudalismo já estava enfrentando sérios
problemas, que impunham mudanças. Não fez parte
dessa fase de crise do feudalismo o(a):
a) escassez da mão-de-obra servil, devido a epidemias
como a “peste negra”, doença que dizimou
grande parcela da população.
b) desorganização da produção causada pela incidência
de guerras, como a Guerra dos Cem Anos.
c) aumento da mortalidade provocada pela grande
fome, que produziu a miséria no campo.
d) eclosão de revoltas camponesas desencadeadas pela
situação de empobrecimento do homem do campo.
e) política ofi cial explícita de contenção da produção
agrícola e do crescimento demográfi co.

[divider]

03. UFOP-MG
A economia européia medieval, em especial no período
compreendido entre os séculos XI e XIII, teve como
base as atividades ligadas à agricultura.
Com relação a esse fato, assinale a opção correta.
a) A pecuária foi a atividade mais importante, pois o
consumo de carne era básico para a população.
b) A maioria da população vivia nas cidades, comercializando
o que era produzido no campo.
c) Os cereais eram alguns dos principais produtos
da economia, sendo muitas vezes utilizados como
moeda nas atividades de comércio.
d) Em razão do comércio praticado com os continentes
africano e americano, houve intensa expansão
da economia baseada em trocas monetárias.

[divider]

04. UFTM-MG
O crescimento do comércio e das cidades na Baixa
Idade Média:
a) consolidou as estruturas feudais, como a economia
de subsistência e a suserania.
b) expandiu as atividades agrícolas, com o declínio
do uso de moedas nas trocas.
c) fez surgir um novo grupo social, ligado às atividades
artesanais e mercantis.
d) permitiu o desenvolvimento do trabalho livre, isento
de quaisquer restrições.
e) criou uma infra-estrutura tão adequada que provocou
intenso êxodo rural.

[divider]

05.
Assinale a alternativa que corresponda ao signifi cado
do termo jacqueries.
a) Trata-se de uma dinastia real européia.
b) Revolta de judeus.
c) O mesmo que “peste negra”.
d) Confl itos camponeses.
e) Impostos cobrados pelos senhores feudais.

[divider]

06.
Entre as conseqüências políticas mais importantes da
Guerra dos Cem Anos, entre 1337 e 1453, podemos
destacar:
a) o aparecimento da relação feudal de suserania e
vassalagem.
b) o fortalecimento dos exércitos mercenários e a
consolidação da vassalagem.
c) o aparecimento do poder real e a consolidação do
feudalismo.
d) a consolidação do absolutismo monárquico e da
prática do escambo.
e) o fortalecimento do poder real e a consolidação do
sentimento de nacionalidade.

[divider]

07.
O que foram as Guerras de Reconquista?

[divider]

08.
Que relação há entre as Guerras de Reconquista e a
formação de Portugal?

[divider]

09. UFPE
Sobre o movimento das Cruzadas, em que a Igreja Católica
procurou retomar as “terras santas” dos mouros,
assinale a opção correta.
a) As Cruzadas ampliaram as possibilidades do
comércio europeu na Ásia.
b) As Cruzadas foram fi nanciadas unicamente com
recursos da Igreja e não tinham fi ns comerciais.
c) Os senhores feudais que fi nanciavam as Cruzadas
eram recompensados unicamente com títulos
religiosos.
d) Do ponto de vista militar, as Cruzadas obtiveram
êxito total contra os mouros, expulsando-os da
Europa e da Terra Santa.

[divider]

10.
A formação do Estado português foi caracterizada:
a) pela descentralização política.
b) por um feudalismo bem delineado.
c) pela República representativa.
d) pela centralização política em torno do rei.
e) pelo bom relacionamento com os árabes maometanos.

[divider]

11.
Sob qual dinastia ocorreu a formação do Estado Nacional
português e quais eram as atividades econômicas
de Portugal nessa época?

[divider]

12.
Em 1383, ocorreu em Portugal a Revolução de Avis.
Entre suas conseqüências, podemos citar:
a) a centralização do poder político e o incentivo às
instituições feudais.
b) a descentralização do poder político e o incentivo
às Grandes Navegações.
c) a descentralização do poder político e o incentivo
ao comércio interno.
d) a centralização do poder político e a criação de
empecilhos à expansão comercial.
e) a conclusão do processo de centralização do poder
político e a criação de condições para as grandes
navegações.

[divider]

13. UFSCar-SP
O crescimento populacional na Europa Ocidental,
a partir do século XI, implicou dificuldades sociais,
devido à:
a) mentalidade teocêntrica típica da Idade Média, que
condenava o trabalho produtivo.
b) descentralização política feudal, que impedia a
livre circulação da mão-de-obra.
c) população exígua das cidades medievais, comprimidas
no interior de muralhas.
d) regulamentação das Corporações de Ofício, que
proibia a formação de artesãos.
e) baixa produtividade da economia medieval e a sua
limitada possibilidade de expansão.

[divider]

14. Unifor-CE
Assim como as Cruzadas dinamizaram o renascimento
das atividades comerciais na Europa, a expansão marítima
provocou uma verdadeira revolução comercial,
na medida em que a atividade mercantil passou a ser
exercida em escala mundial. Em meio a esse processo,
estruturava-se uma nova ordem socioeconômica, que
alguns estudiosos denominam:
a) feudalismo.
b) capitalismo industrial.
c) capitalismo comercial.
d) capitalismo financeiro.
e) socialismo.

[divider]

15. Unifacs-BA
Na Baixa Idade Média, o renascimento do comércio
possibilitou:
a) a formação de associações corporativas, denominadas
confrarias, que defendiam os interesses dos
mercadores.
b) a instituição, pela burguesia nascente, de governos
próprios sob a proteção dos senhores feudais.
c) o retorno das transações financeiras com o reaparecimento
da moeda.
d) o fortalecimento da nobreza feudal a partir da
cobrança de impostos sobre as atividades comerciais.
e) a cobrança de juros, nos empréstimos financeiros,
com o apoio da Igreja.

[divider]

16. UFPE
Durante toda a Baixa Idade Média, a península Ibérica
esteve envolvida:
a) em guerras entre os reinos de Portugal e de Navarra.
b) na Guerra de Reconquista, em que os reinos
cristãos lutaram contra os muçulmanos.
c) na guerra contra a formação dos Estados modernos
europeus.
d) com a conquista da África e da Ásia.
e) com a organização das Cruzadas.

[divider]

17. PUC-RS
Na Europa, entre os séculos XI e XV, ocorreram transformações
sociais, políticas, econômicas e culturais,
dentre as quais não se pode citar:
a) o desenvolvimento do capital comercial.
b) a dissolução gradual do trabalho servil.
c) a consolidação da influência bizantina na Igreja.
d) o surgimento de uma cultura antropocêntrica.
e) o início da centralização do poder político.

[divider]

18. UEM-PR
Sobre a crise da sociedade feudal européia (séculos
XIV e XV), assinale o que for correto.
01. Em determinadas áreas da Europa Ocidental,
ocorre a transformação das relações servis em
relações contratuais, que paralelamente coexistem
com um recrudescimento da servidão em outras
regiões.
02. Nesse período, houve uma decadência das atividades
comerciais e uma regressão da vida urbana,
sobretudo em razão das pressões da Igreja.
04. As revoltas urbanas e camponesas, as jacqueries
da França, vinculam-se à miséria que caracteriza a
vida dos trabalhadores urbanos e dos camponeses
naquele período.
08. Em seus aspectos políticos, a crise do feudalismo
possibilita uma crescente centralização do poder
monárquico e o conseqüente surgimento dos
Estados nacionais.

16. As inovações técnicas na guerra, a utilização de
armas de fogo, exigem exércitos mais disciplinados
e mais bem treinados que os dos cavaleiros medievais
e colocam em xeque a cavalaria, instituição
da nobreza.
Dê, como resposta, a soma das alternativas corretas.

[divider]

19. Unifor-CE
Analise os textos abaixo.
I. “Agravaram-se as contradições entre o campo e
a cidade. A produção agrícola não respondia mais
às exigências das cidades em crescimento.”
II. “(…) a atividade comercial se estagnou devido,
principalmente, à falta de moedas e à insuficiência
de mercados. As minas de ouro e prata haviam se
esgotado na Europa.”
III. “(…) a insuficiente produção agrícola e a estagnação
do comércio provocaram a fome que se
alastrou pela Europa. A desnutrição e as más
condições de higiene propiciaram a ocorrência de
sucessivos surtos epidêmicos, dos quais o mais
desastroso foi a chamada peste negra (…).”
IV. “(…) Os levantes dos servos, promovidos pela
superexploração, foram tornando inviável a manutenção
das relações de servidão.”
Eles identificam fatores responsáveis:
a) pela crise do século XIV, que anunciou o final da
época medieval.
b) pela extinção do escravismo, que anunciou o final
da época moderna.
c) pelo declínio do Império Romano, que anunciou o
final da época antiga.
d) pelo surgimento do feudalismo e pela descentralização
política da Europa.
e) pela ruralização da Europa Ocidental e pelas
invasões dos bárbaros no século IV.

[divider]

20.
No século XIV, um acontecimento de grande importância
favoreceu a monarquia portuguesa. Foi:
a) a descoberta do Brasil.
b) a realização do périplo africano.
c) o início do comércio português com as Índias.
d) a Revolução de Avis.
e) o cruzamento do Cabo das Tormentas.

[divider]

21.
Analise o significado político e econômico da Revolução
de Avis.

[divider]

22. UFRJ
O modo de produção feudal começou a desestruturar-se a
partir do século XIV, na Europa, por alguns fatores. Dentre
estes fatores, as revoltas camponesas têm uma importância
vital para entendermos a estrutura de dominação que
se abatia sobre estes mesmos camponeses.
a) Explique uma causa das revoltas camponesas.
b) Cite outro fator, além das revoltas camponesas,
que tenha contribuído para a crise feudal do século
XIV.

[divider]

23. Fuvest-SP
A partir do século XI, na Europa Ocidental, os poderes
monárquicos foram lentamente se reconstituindo, e em
torno deles surgiram os diversos Estados nacionais.
Explique as razões desse processo de centralização
política.

[divider]

24. Unifesp
Se, como concluo que acontecerá, persistir esta
viagem de Lisboa para Calecute, que já se iniciou,
deverão faltar as especiarias às Galés venezianas e
aos seus mercadores.
Diário de Girolamo Priuli. Julho de 1501
Esta afirmação evidencia que Veneza estava:
a) tomada de surpresa pela chegada dos portugueses
à Índia, razão pela qual entrou em rápida e
acentuada decadência econômica.
b) acompanhando atentamente as navegações portuguesas
ao Oriente, as quais iriam trazer prejuízos
ao seu comércio.
c) despreocupada com a abertura de uma nova rota
pelos portugueses, pois isto não iria afetar seu
comércio e suas manufaturas.
d) impotente para resistir ao monopólio que os
portugueses iriam estabelecer no comércio de
especiarias pelo Mediterrâneo.
e) articulando uma aliança com outros estados italianos
para anular os eventuais prejuízos decorrentes
das navegações portuguesas.

[divider]

25. UFC-CE
Dispostos a participar do lucrativo comércio de especiarias,
realizado pelos portos do Levante Mediterrâneo
e controlado pelos venezianos, os portugueses
buscaram um caminho alternativo. Em 1498, Vasco
da Gama conseguiu chegar à Índia:
a) através dos portos do Poente Mediterrâneo.
b) utilizando as antigas rotas terrestres do Meio
Oriente.
c) utilizando o canal do Panamá.
d) através do Estreito de Magalhães.
e) circunavegando a África.

[divider]

26. Cesgranrio-RJ
O descobrimento do Brasil foi parte do plano imperial
da Coroa portuguesa, no século XV. Embora não
houvesse interesse específico de expansão para o
Ocidente:
a) a posse de terras no Atlântico Ocidental consolidava
a hegemonia portuguesa neste oceano.
b) o Brasil era uma alternativa mercantil ao comércio
português no Oriente.
c) o desvio da esquadra de Cabral seguia a mesma
inspiração de Colombo para chegar às Índias.

d) a procura de terras no Ocidente foi uma reação de
Portugal ao Tratado de Tordesilhas, que o afastava
da América.
e) essa descoberta foi mero acaso, provocado pelas
intempéries que desviaram a esquadra da rota da
Índia.

[divider]

27. UFMG
Todas as alternativas apresentam fatores que explicam
a primazia dos portugueses no cenário dos grandes
descobrimentos, exceto:
a) a atuação empreendedora da burguesia lusa no
desenvolvimento da indústria náutica.
b) a localização geográfica de Portugal, distante do
Mediterrâneo Oriental e sem ligações comerciais
com o restante do continente.
c) a presença da fé e o espírito da cavalaria e das
Cruzadas que atribuíam aos portugueses a missão
de cristianizar os povos chamados “infiéis”.
d) o aparecimento pioneiro da monarquia absolutista
em Portugal, responsável pela formação do Estado
moderno.

[divider]

28. Fuvest-SP
“Antigamente, a Lusitânia e a Andaluzia eram o fim
do mundo, mas agora, com a descoberta das Índias,
tornaram-se o centro dele”. Essa frase, de Tomás de
Mercado, escritor espanhol do século XVI, referia-se:
a) ao poderio das monarquias francesa e inglesa, que
se tornaram centrais desde então.
b) à alteração do centro de gravidade econômica
da Europa e à importância crescente dos novos
mercados.
c) ao papel que os portos de Lisboa e Sevilha assumiram
no comércio com os marajás indianos.
d) ao fato de a América ter passado a absorver, desde
então, todo o comércio europeu.
e) ao desenvolvimento da navegação a vapor, que
encurtava distâncias.

[divider]

29. Fuvest-SP
Sobre o Tratado de Tordesilhas, assinado em 7 de
junho de 1494, pode-se afirmar que objetivava:
a) demarcar os direitos de exploração dos países
ibéricos, tendo como elemento propulsor o desenvolvimento
da expansão comercial marítima.
b) estimular a consolidação do reino português, por
meio de exploração das especiarias africanas e
da formação do exército nacional.
c) impor a reserva de mercado metropolitano, por
meio da criação de um sistema de monopólios que
atingia todas as riquezas coloniais.
d) reconhecer a transferência do eixo do comércio
mundial do Mediterrâneo para o Atlântico, depois
das expedições de Vasco da Gama às Índias.
e) reconhecer a hegemonia anglo-francesa sobre a
exploração colonial, após a destruição da invencível
Armada de Filipe II, da Espanha.

[divider]

30. UEL-PR
Para compreender a expansão marítima nos séculos
XV e XVI, é necessário considerar a importância da
cartografia. Sobre o tema, é correto afirmar que os
cartógrafos representaram o mundo:
a) valendo-se de conhecimentos acumulados e
transmitidos por meio da filosofia, da astronomia
e da experiência concreta.
b) desconhecendo o valor político de sua arte de
cartografar para os rumos da rivalidade castelhano-
portuguesa.
c) ignorando a hagiografia medieval e as crenças na
existência de monstros marinhos e de correntes
de ventos nos oceanos.
d) confirmando os conhecimentos estáticos sobre
o planeta, resultantes da observação direta dos
espaços desconhecidos.
e) anotando nos mapas pontos geográficos, longitudes
e latitudes com exímia precisão, em função
dos eficazes instrumentos de navegação.

 

[divider]

[toggle title=”GABARITO” state=”close” ]

 

[/toggle]

Comentários