Compartilhe

[divider]

31.
Portugal e Espanha foram, no século XV, as primeiras
nações modernas da Europa, portanto pioneiras dos
grandes descobrimentos marítimos. Identifique as
realizações portuguesas e as espanholas, no que diz
respeito a esses descobrimentos.
1. Os espanhóis, navegando para o Ocidente, descobriam,
em 1492, as terras do Canadá.
2. Os portugueses chegaram ao Cabo das Tormentas,
na África, em 1488.
3. Os portugueses completaram o caminho para as
Índias, navegando para o Oriente, em 1498.
4. A Coroa espanhola foi responsável pela primeira
circunavegação da Terra, iniciada em 1519 por
Fernão de Magalhães. Sebastião del Cano chegou
de volta à Espanha em 1522.
5. Os portugueses chegaram às Antilhas em 1492, confundindo
o continente americano com as Índias.
Estão corretos apenas os itens:
a) 2, 3 e 4. d) 1, 3 e 4.
b) 1, 2 e 3. e) 2, 4 e 5.
c) 3, 4 e 5.

[divider]

32. Mackenzie-SP
As razões do pioneirismo português na expansão
marítima dos séculos XV e XVI foram:
a) a invasão da península Ibérica pelos árabes e a
conquista de Calicute pelos turcos.
b) a assinatura do Tratado de Tordesilhas por Portugal
e pelos demais países europeus.
c) um Estado liberal centralizado, voltado para a
acumulação de novos mercados consumidores.
d) as guerras religiosas, a descentralização política
do Estado e o fortalecimento dos laços servis.
e) uma monarquia centralizada, interessada no comércio
de especiarias.

[divider]

33. UFR-RJ
Os portugueses foram os primeiros europeus a lançarem-
se no processo de expansão marítima, no século
XV. Isto ocorreu devido a inúmeros fatores de ordem
interna, tais como: a precoce centralização política,
uma burguesia forte e uma certa experiência em navegação.
Em relação a outros fatores que favoreceram a
expansão marítima portuguesa, podemos citar:
a) a necessidade de descobrir novas jazidas de
metais preciosos para cunhagem de moedas e
o desejo de chegar às Índias para monopolizar o
comércio de especiarias.
b) a necessidade de descobrir novas jazidas de
metais preciosos para cunhagem de moedas e a
feitura de uma aliança com a Espanha, visando a
uma ação conjunta em relação ao descobrimento
da América.
c) a necessidade de descobrir novas jazidas de metais
preciosos para cunhagem de moedas e o desejo de
fundar novas cidades na costa africana, levandolhes
o desenvolvimento técnico dos europeus.
d) a necessidade de expandir a fé católica, bem como
a necessidade de se chegar às Índias viajando
para o Ocidente, a fim de divulgar os novos preceitos
do Calvinismo.
e) a necessidade de descobrir novas jazidas de
metais preciosos para cunhagem de moedas e o
objetivo de chegar às Índias para desenvolver a
cultura de ambos os países.

[divider]

34.
Os europeus ocidentais, com exceção de alguns comerciantes
empreendedores, italianos e judeus, conheciam
apenas vaga e fragmentariamente as grandes civilizações
asiáticas e norte-africanas. Estas, por sua vez,
sabiam pouco ou nada da Europa que existia no norte dos
Pirineus e da África ao sul do Sudão (…), e desconheciam
tudo acerca da América. Foram os pioneiros portugueses
e os conquistadores castelhanos da orla ocidental da
cristandade que uniram, para o melhor e para o pior, os
ramos diversificadores da grande família humana.
Charles Boxer, O império marítimo português, 1415-1825.
Acerca da expansão marítima e de suas conseqüências,
podemos afirmar que:
a) foi responsável pela transferência do eixo econômico
do Atlântico para o mar Mediterrâneo e pelo
contato entre os europeus, africanos e habitantes
do Novo Mundo.
b) propiciou o primeiro contato entre os europeus e
os habitantes do que, anos depois, viria a ser chamado
de América. Como resultado desse contato,
os habitantes do Novo Mundo entraram numa fase
de grande desenvolvimento.
c) desencadeou uma profunda crise econômica em Portugal,
conhecida por “Revolução dos Preços”, uma vez
que a colonização acabou por empobrecer o reino
português ao consumir muitos de seus recursos.
d) proporcionou uma fase de pleno desenvolvimento
socioeconômico no continente africano, decorrente
da implantação, por parte de Portugal, de um
sistema de colonização conhecido como colônia
de povoamento.
e) estimulou e consolidou a emergência do capitalismo
mercantil no velho continente e foi responsável
pela ampliação dos horizontes físico e mental do
homem europeu.

 [divider]

35. Unirio-RJ
A 16 de setembro, vimos flutuar pequenos maços de
ervas marinhas que pareciam ainda frescas…, o que
fez todos acreditarem que a terra se aproximava.
COLOMBO, Cristóvão. In: ISAAC, J. & ALBA, A História universal – Idade
Média. São Paulo: Mestre Jou, 1967, p.193
Esse breve fragmento, extraído do diário de bordo,
escrito em 1492 por Cristóvão Colombo, tem um significado
especial no processo de expansão das fronteiras
européias. Podemos afirmar que a chegada à América
faz parte do processo da(o):
a) expansão da economia mercantil e do fortalecimento
da classe burguesa.
b) ampliação do movimento da Reconquista e da
consolidação dos reinos cristãos ibéricos.
c) decisão tomada no Tratado de Tordesilhas e do
fortalecimento econômico da Espanha.
d) descobrimento das novas técnicas de navegação
e da assinatura da Bula Inter Coetera.

[divider]

36. UFPE
Assinale a alternativa que não se relaciona com o
movimento de expansão marítima portuguesa.
a) No início da Idade Moderna, o oceano Atlântico era
praticamente desconhecido, havendo navegações
costeiras de Portugal aos países escandinavos:
Dinamarca, Noruega e Suécia.
b) Investimentos altos foram necessários à expansão
portuguesa. O Estado foi o único agente capaz
de investir grandes vultos, advindos de impostos
recolhidos sobre a propriedade da terra.
c) A unificação italiana foi um dos pré-requisitos para
a expansão marítima.
d) A conquista de Ceuta em 1415 significou uma aliança
de interesses entre a burguesia e a nobreza portuguesa,
cujos objetivos eram convergentes, na época.
e) Os lucros comerciais atingidos com as expedições
portuguesas de 1415 e 1460 na costa africana
foram superiores aos gastos realizados nesses
empreendimentos.

[divider]

37.
Acerca da expansão marítima comercial implementada
pelo reino português, podemos afirmar que:
a) a conquista de Ceuta marcou o início da expansão,
ao possibilitar a acumulação de riquezas para a
manutenção do empreendimento.
b) a conquista da baía de Argüim permitiu a Portugal
montar uma feitoria e manter o controle sobre
importantíssima rota comercial intra-africana.
c) a instalação da feitoria de São Paulo de Luanda
possibilitou a montagem de grande rede de abastecimento
de escravos para o mercado europeu.
d) o domínio português de Piro e Sidon e o conseqüente
monopólio de especiarias do Oriente
Próximo tornaram desinteressante a conquista da
Índia.
e) a expansão da lavoura açucareira escravista na
ilha da Madeira, após 1510, aumentou o preço
dos escravos, tanto nos portos africanos quanto
nas praças brasileiras.

[divider]

38. Unifor-CE
Leia o poema abaixo.
Ó mar salgado, quando do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!
Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu.
Mas nele é que espelhou o céu.
Fernando Pessoa
O poema de Fernando Pessoa se refere à conquista dos
mares pelos portugueses, no início da era Moderna. Se
os resultados finais mais conhecidos dessas “grandes
navegações” foram a abertura de novas rotas comerciais
em direção à Índia, a conquista de novas terras e o espalhamento
da cultura européia, alguns dos elementos
desse contexto histórico cuja articulação auxilia na compreensão
das origens dessa expansão marítima são:
a) o avanço das técnicas de navegação; a busca
do mítico paraíso terrestre; a percepção de um
universo segundo uma ordem racional.
b) a busca de ouro para as Cruzadas; a descentralização
monárquica; o desenvolvimento da
matemática.
c) o mito do abismo do mar; a desmonetarização da
economia; a vontade do enriquecimento rápido.
d) a demanda de especiarias; a aliança com as cidades
italianas; a ânsia de expandir o cristianismo.
e) o anseio de crescimento mercantil; os relatos de
viajantes medievais; a conquista de Portugal pelos
mouros.

[divider]

39.
Justifique com suas palavras a seguinte frase da
música:
Todo dia era dia de índio, mas agora ele só tem o dia
19 de abril.
Jorge Ben Jor

[divider]

40. Unicamp-SP
A base da tese de que o Brasil teria sido descoberto
por Duarte Pacheco em 1498 gira em torno de seu manuscrito
intitulado Esmeraldo de Situ Orbis, produzido
entre 1505 e 1508. Trata-se de um relato das viagens
de Duarte Pacheco não só ao Brasil como também à
costa da África, principal fonte de riqueza de Portugal
no século XV. O rei dom Manoel I considerou tão
valiosas as informações náuticas, geográficas e econômicas
contidas no documento que jamais permitiu
que este fosse tornado público.
Adaptado de: IstoÉ. 26 de novembro de 1997. pp. 65-66.
a) Em que o relato de Duarte Pacheco altera a versão
oficial do descobrimento do Brasil?
b) Por que, no contexto da expansão ultramarina, Portugal
procurou manter este relato em segredo?
c) Quais os interesses de Portugal com a expansão
ultramarina?

[divider]

41. Fuvest-SP
A que se pode atribuir a primazia portuguesa nos descobrimentos
e na expansão marítima moderna?

[divider]

A respeito da tela e do texto, é correto afirmar que:
a) demonstram a submissão da monarquia portuguesa
à Contra-Reforma católica.
b) expressam o encantamento dos europeus com a
exuberância natural da terra.
c) atestam, como documentos históricos, o caráter
conflituoso dos primeiros contatos entre brancos
e índios.
d) representam o índio sem idealização, reservandolhe
lugar de destaque no quadro, o que era pouco
comum.
e) apresentam uma leitura do passado na qual os portugueses
figuram como portadores da civilização.

[divider]

43. UFMG
O tempo concreto da Igreja é (…) o templo dos clérigos,
situados pelos ofícios religiosos, pelos sinos que
os anunciam, pelo rigor indicado pelos quadrantes
solares, imprecisos e variáveis (…) mercadores e
artifícios substituem esse tempo da Igreja pelo tempo
mais exatamente medido utilizável para as tarefas
profanas e laicas, o tempo dos relógios.
Le Goff, Jacques – Tempo da Igreja, tempo de mercados.

Esse trecho refere-se a um aspecto das transformações
ocorridas no início dos tempos modernos. Todas
as alternativas apresentam outras características
desse processo de mudanças, exceto:
a) Ascensão da classe senhorial.
b) Desenvolvimento de rotas terrestres e marítimas.
c) Expansão da utilização da moeda.
d) Formação das monarquias nacionais.
e) Renascimento da vida urbana.

[divider]

44. UFMG
O Tratado de Tordesilhas, assinado em 1494:
a) foi elaborado segundo os mais modernos conhecimentos
cartográficos, baseados nas teorias do
geógrafo e astrônomo grego Ptolomeu.
b) foi respeitado pelos portugueses até o século XVIII,
quando novas negociações resultaram no Tratado
de Madri.
c) nasceu de uma atitude inovadora na época: a de
resolver problemas políticos entre nações concorrentes
pela via diplomática.
d) resultou da ação dos monarcas espanhóis que
resistiram à adoção da Bula Intercoetera, contrária
aos seus interesses.
e) surgiu da necessidade de definir a possessão
do território brasileiro disputado por Portugal e
Espanha.

[divider]

45. UECE
A descoberta de novas terras por navegadores portugueses
e espanhóis alimentou a imaginação dos
europeus e fomentou uma visão paradisíaca do novo
mundo. Com respeito a esta “visão do paraíso” dos
trópicos, é correto afirmar que:
a) os europeus esperavam encontrar monstros e
outras entidades mitológicas, o que se confirmou
na presença de animais pré-históricos e seres
humanos estranhos.
b) os temores com relação ao inesperado levavam
muitas vezes os europeus a demonstrar uma violência
desumana contra os nativos do chamado
Novo Mundo.
c) as descrições dos novos territórios, com suas
florestas exuberantes e seus pássaros exóticos,
vinham confirmar as expectativas de descoberta
do paraíso na Terra.
d) o encontro com seres de uma nova cultura, em
um ambiente natural diferente, criou um clima
propício ao entendimento mútuo e ao respeito pela
vida humana, como era pregado pelos religiosos
europeus.

[divider]

46. Fuvest-SP
Os portugueses chegaram ao território, depois denominado
Brasil, em 1500, mas a administração da
terra só foi organizada em 1549. Isso ocorreu porque,
até então:
a) os índios ferozes trucidavam os portugueses que se
aventurassem a desembarcar no litoral, impedindo
assim a criação de núcleos de povoamento.
b) a Espanha, com base no Tratado de Tordesilhas,
impedia a presença portuguesa nas Américas,
policiando a costa com expedições bélicas.
c) as forças e atenções dos portugueses convergiam
para o Oriente, onde vitórias militares garantiam
relações comerciais lucrativas.
d) os franceses, aliados dos espanhóis, controlavam
as tribos indígenas ao longo do litoral, bem como
as feitorias da costa sul-atlântica.
e) a população de Portugal era pouco numerosa,
impossibilitando o recrutamento de funcionários
administrativos.

[divider]

47. UFRJ
À frente do projeto de expansão do luso-cristianismo
estavam os monarcas portugueses, aos quais, desde
meados do século XV, os papas haviam concedido
o direito do padroado (…). Quando se iniciou o ciclo
das grandes navegações, Roma decidiu confiar aos
monarcas da península Ibérica o padroado sobre as
novas terras descobertas.
AZZI, Riolando. A cristandade colonial: mito e ideologia. Petrópolis:
Vozes, 1987, p. 64.
As relações entre os Estados nascentes e a Igreja
Católica constituíram-se em um dos mais importantes
eixos de conflito ao longo da etapa final da Idade Média.
Ao contrário de outras regiões, na península Ibérica
a resolução do problema implicou o estreitamento das
interações entre uma e outra instituição.
a) Cite duas das atribuições das Coroas ibéricas
contidas na delegação papal do padroado, cujo fim
último era a expansão do catolicismo nas terras
recém-descobertas da América.
b) Indique a principal fonte de arregimentação de
recursos para a realização das tarefas que, por
meio do padroado, estavam a cargo das Coroas
ibéricas na América nos séculos XVI e XVII.

[divider]

48. Fuvest-SP
Leia o poema a seguir e, em seguida, responda às
questões.
Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!
Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu
Mas nele é que espelhou o céu.
Fernando Pessoa, Mensagem
a) Qual o período da história de Portugal que está
sendo recuperado pelo poeta Fernando Pessoa?
b) Por que as aventuras marítimas, nesse período,
eram empreendimentos tão arriscados?
c) Por que a conquista e o domínio dos mares foram
tão importantes naquele período?

[divider]

49.
A árvore de pau-brasil era frondosa, com folhas de um
verde acinzentado quase metálico e belas flores amarelas.
Havia exemplares extraordinários, tão grossos
que três homens não poderiam abraçá-los. O tronco
vermelho ferruginoso chegava a ter, algumas vezes,
30 metros (…).
BUENO, Eduardo. Náufragos, degredados e traficantes
Em 1550, segundo o pastor francês Jean de Lery, em
um único depósito havia cem mil toras.
Sobre essa riqueza neste período da História do Brasil,
podemos afirmar que:
a) o extrativismo foi rigidamente controlado para
evitar o esgotamento da madeira.
b) provocou intenso povoamento e colonização, já
que demandava muita mão-de-obra.
c) explorada com mão-de-obra indígena, através do
escambo, gerou feitorias ao longo da costa, e seu
intenso extrativismo levou ao quase esgotamento
da madeira.
d) o litoral brasileiro não era ainda alvo de traficantes
e corsários franceses e de outras nacionalidades,
já que a madeira não tinha valor comercial.
e) os choques violentos com as tribos foram inevitáveis,
já que os portugueses arrendatários escravizaram
as tribos litorâneas para a exploração do
pau-brasil.

[divider]

50.
A coleta e o transporte do pau-brasil era um trabalho
demorado e difícil e, por isso, os portugueses não
conseguiam fazer sozinhos.
Responda às questões a seguir.
a) Quem colaborou com os portugueses na extração
do pau-brasil?
b) O que os índios receberam dos portugueses em
troca de seu trabalho na coleta e no transporte
do pau-brasil? Que nome recebe esse tipo de
troca?
c) Explique o que eram as feitorias e como elas eram
utilizadas na época da exploração do pau-brasil.

[divider]

51. UFPE
As feitorias portuguesas no Novo Mundo foram formas
de assegurar, aos conquistadores, as terras descobertas.
Sobre essas feitorias, é correto afirmar que:
a) a feitoria foi uma forma de colonização, empregada
por portugueses na África, na Ásia e no Brasil, com
pleno êxito para a atividade agrícola.
b) as feitorias substituíram as capitanias hereditárias
durante o governo-geral de Mem de Sá, como proposta
mais moderna de administração colonial.
c) as feitorias foram estabelecimentos fundados por
portugueses no litoral das terras conquistadas e
serviam para armazenamento de produtos da terra,
que deveriam seguir para o mercado europeu.
d) tanto as feitorias portuguesas fundadas ao longo
do litoral brasileiro quanto as fundadas nas Índias
tinham idêntico caráter: a presença do Estado
português e a ausência de interesses de particulares.
e) o êxito das feitorias afastou a presença de corsários
franceses e estimulou a criação das capitanias
hereditárias.

[divider]

Considerando a situação histórica e os significados
expressos no cartum apresentado, analise as seguintes
afirmações.
I. O cartum retrata o momento inicial da conquista
portuguesa, demonstrando aspectos do “choque
cultural” ocorrido entre os conquistadores e os
indígenas.
II. A dominação portuguesa do Brasil não se deu
unicamente com base na exploração dos recursos
naturais e do trabalho indígena, mas também apresentou
aspectos nitidamente ideológicos, como a
imposição da religião católica aos autóctones.
III. O cartum apresenta o momento inicial do contato
interétnico como sendo de tensão e conflito armado
e econômico, visto que os nativos reagiram às tentativas
de vigilância impostas pelos conquistadores.
Quais estão corretas?
a) Apenas I.
b) Apenas I e II.
c) Apenas I e III.
d) Apenas II e III.
e) I, II e III.

[divider]

53. Cesgranrio-RJ
O início da colonização portuguesa no Brasil, no chamado
período “pré-colonial” (1500-1530), foi marcado
pelo(a):
a) envio de expedições exploratórias do litoral e pelo
escambo do pau-brasil.
b) plantio e exploração do pau-brasil, associados ao
tráfico africano.
c) deslocamento, para a América, da estrutura administrativa
e militar já experimentada no Oriente.
d) implantação da lavoura canavieira, apoiada em
capitais holandeses.

[divider]

54. Enade-MEC
Referindo-se às primeiras décadas que seguiram
a chegada da frota de Cabral à costa americana,
Capistrano de Abreu considerou que, então, não se
podia saber se o Brasil seria mair (francês) ou peró
(português). Isto porque:
a) os tupinambás da costa achavam-se sublevados.
b) Portugal e França lutavam pela hegemonia na
Europa.
c) a catequese ainda não começara.
d) ainda não se consolidara a colonização portuguesa
da nova terra.
e) a posse portuguesa não fora garantida por instrumentos
legais.

[divider]

55. Cesgranrio-RJ
A denominação de “Costa do Pau-brasil”, dada ao
trecho do litoral brasileiro compreendido entre o Cabo
de São Roque e Cabo Frio, demonstra a importância
que a exploração desta madeira tintorial desempenhou
durante o chamado período pré-colonizador. Sobre
este período, são corretas as afirmações a seguir, com
exceção de uma. Assinale-a.
a) O estabelecimento do escambo entre nativos e
portugueses e a utilização do trabalho indígena
nas tarefas de corte e transporte do pau-brasil.
b) A ocupação esparsa do litoral brasileiro, restrita à
construção de feitorias, possibilitando a presença
de contrabandistas estrangeiros.
c) A devastação dos recursos naturais e a conseqüente
eliminação das populações nativas que
ocupavam as áreas de ocorrência do pau-brasil.
d) O papel secundário da nova colônia no conjunto
do circuito mercantil controlado pelos portugueses.
e) O estabelecimento de contratos de arrendamento
da exploração do pau-brasil entre o rei e comerciantes
portugueses, garantindo-lhes o monopólio.

[divider]

56.
A presença francesa foi constante no litoral do Brasil
nesse período. Por quê?

[divider]

57.
O período pré-colonial caracterizou-se por um relativo
desinteresse de Portugal em relação ao Brasil. Por
quê?

[divider]

58.
Durante os primeiros trinta anos após a “descoberta”,
Portugal deixou o Brasil em segundo plano diante de
outras conquistas. Explique.

[divider]

59. PUC-RJ
No Brasil, o escambo constituiu-se em uma prática
por meio da qual:
a) os portugueses trocavam com os indígenas mercadorias
européias de baixo custo por pau-brasil.
b) os portugueses substituíram progressivamente o
trabalho dos nativos por negros escravizados nas
tarefas de corte do pau-brasil.
c) a Coroa portuguesa distribuía, entre os principais
comerciantes europeus, áreas para a exploração
do pau-brasil.
d) os primeiros colonizadores portugueses iniciaram
a exploração do pau-brasil construindo feitorias
para a extração da tinta.
e) os piratas europeus monopolizaram o comércio de
pau-brasil no período em que a Coroa portuguesa
estava mais interessada na comercialização do
açúcar.

[divider]

60. Vunesp
Os primitivos habitantes do Brasil foram vítimas do
processo colonizador. O europeu, com visão de mundo
calcada em preconceitos, menosprezou o indígena e
sua cultura. A acreditar nos viajantes e missionários,
a partir de meados do século XVI, há um decréscimo
da população indígena, que se agrava nos séculos
seguintes. Os fatores que mais contribuíram para o
citado decréscimo foram:
a) a captura e a venda do índio para o trabalho nas
minas de prata do Potosí.
b) as guerras permanentes entre as tribos indígenas
e entre índios e brancos.
c) o canibalismo, o sentido mítico das práticas rituais,
o espírito sangüinário, cruel e vingativo dos naturais.
d) as missões jesuíticas do vale amazônico e a
exploração do trabalho indígena na extração da
borracha.
e) as epidemias introduzidas pelo invasor europeu e
a escravidão dos índios.

[divider]

[toggle title=”GABARITO” state=”close” ]

[/toggle]

Comentários